Bosque da Freguesia

Atualizado em 11/10/2017

As solicitações para uso das instalações do Bosque para fins de festas e outros eventos assim como, entre outros, para plantar mudas de árvores devem ser obrigatoriamente feitas junto ao Gestor(a) do Bosque.

Recebemos hoje da Gestora do Bosque, Sra. Vera Baldner, o novo e-mail para quem quiser se comunicar com a administração: bosquefreguesia@gmail.com

Atualizado em 05/10/2017

Da historia do Bosque formam parte as lutas da AMAF pela preservação dos 300 mil metros quadrados e também os esforços de pessoas que, sensibilizadas pela utilização dessa área em beneficio da população da Freguesia, trabalharam como voluntários ou a serviço da Prefeitura.

Como exemplos destes personagens mencionamos os moradores Sr. João que foi Presidente da AMAF e o Sr. Angelino (homenagens póstumas ) e a atual Gestora do Bosque, Sra. Vera Baldner além de muitos outros, que por questões de justiça não poderíamos relacionar aqui sob risco de esquecer alguém.

Com relação à Sra. Vera Baldner a AMAF fez uma entrevista com ela em 2015 que resume de forma clara a sua participação no Bosque e que foi relembrada por ela  na nossa reunião em 01/10/2017 assumindo a sua terceira gestão.

Para ler a matéria da entrevista feita em 2015 basta clicar aqui.

Para se comunicar com a Gestão do Bosque pode enviar e-mail para: bosquefreguesia@gmail.com

Atualizado em 02/10/2017

Ontem, 01/10/2017, a Gestora do nosso Bosque, Sra. Vera Baldner,  nos entregou um DVD feito na sua anterior gestão, como instrumento de divulgação do nosso precioso patrimônio que precisa ser preservado por todos nos.

Clique na imagem para assistir ao vídeo.

Atualizado em 18/08/2017

Saiu no Diário Oficial do Município Resolução Nº 3416 de 16/08/2017 que o Marcelo Bianchini Penna deixou de ser o Gestor do Bosque.

Estamos aguardando a nova ou o novo Gestor9a) para saber como será administrado esse nosso bem.

Atualizado em 21/07/2017

Um novo Gestor foi empossado em 19/06/2017 (Vide Diário Oficial de 19/06) sendo a Gestora, Sra. Eliana Zannini, afastada após menos de um mês da sua posse. O novo Gestor é o Advogado Marcelo Bianchini Penna.

Foram colocadas nesta página (Procure abaixo Historia e situação legal) mais informações sobre o processo de criação (Leis e Decretos) do Parque Natural Municipal da Freguesia.

Atualizado em 29/05/2017

Na reunião da AMAF de 28/05 a Gestora do Bosque, Sra. Eliana Zannini, fez uma apresentação das principais ações que foram tomadas desde que assumiu essa nova responsabilidade como funcionária publica e técnica da área e que estão sendo tomadas.

Uma dela refere-se ao uso do Bosque que por se tratar de área de preservação exige cuidados especiais evitando ao máximo a perturbação do meio ambiente.

Uma da medidas tomadas é relativa ao uso da sede para festas particulares, tais como, aniversários e outros eventos. Esse tipo de eventos somente serão permitidos na área externa da sede, isto é, como piquenique nas áreas naturais do Bosque com algumas restrições a serem conhecidas via contato com a Gestão do Bosque por e-mail (pnmbosquedafreguesia2017@gmail.com) ou outros meios que a Gestão divulgará conforme disponibilidade.

A sede será destinada para eventos culturais organizados / autorizados pela Gestão do Bosque e para uso da Biblioteca que está em processo de avaliação e recuperação do seu acervo.

Leia mais sobre a administração do Bosque e quais são as atividades …

Atualizado em 12/03/2017

Para entrar em contato com a Gestora do nosso Bosque, Sra. Eliana Zanini, recomendamos enviar uma mensagem para:

pnmbosquedafreguesia2017@gmail.com

O horário de funcionamento é de terça a domingo das 7:00 até às 17:00 hs.

Atualizado em 30/01/2017

As solicitações para uso das instalações do Bosque para fins de festas e outros eventos assim como, entre outros, para plantar mudas de árvores devem ser obrigatoriamente feitas junto ao Gestor(a) do Bosque.

Até o dia 29/01/2017 não tinha sido definido o responsável pelo nosso Bosque. Assim que a AMAF tomar conhecimento, será amplamente divulgado pelo site e face book.

Atualizado em 06/10/2016

Uso das instalações do Bosque

A AMAF tem recebido diversos e-mails solicitando autorização para usar a sede do Bosque para fins festivos e outros.

Cabe esclarecer que esse tipo de solicitação deve ser encaminhado para a Gestora do Bosque, Sra. Vera Baldner, cujo e-mail é:

verabaldner@gmail.com

Atualizado em 16/12/2015: Carta da AMAF ao Prefeito cobra preservação do Bosque da Freguesia

Atualizado em 29/09/2015: Um passeio pelo nosso Bosque na Primavera 2015

Atualizado em 24/09/2015: Leia a entrevista com a Gestora Sra. Vera Baldner

História e situação legal

A partir de 1983 a AMAF começou a debater a possibilidade e a estratégia de preservar a grande área verde, 360.000 m2, existente quase que no coração do bairro, que compunha a Fazenda Catramby.

Deflagrada, em 1984, a Campanha pela criação do Bosque da Freguesia contou com o apoio de vários vereadores e entidades nos primeiros anos fazendo crescer a campanha e originando, em 1987, o projeto do vereador A. Sirkis tombando e transformando a área em uma APA – ÁREA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL, garantindo dessa forma, a sua preservação.

O projeto virou lei em 1989, após derrubar o veto do então prefeito Marcelo Alencar, sendo a Fazenda Catramby dividida em duas glebas, uma delas vendida a Dirija, concessionária de uma marca de automóveis, que conseguiu aprovar um projeto de uma mega concessionária, apesar da campanha já em curso.

Este fato ocasionou 3 anos de luta e confronto entre a comunidade e a empresa com manifestações, passeatas, atos públicos, ações na justiça, abaixo-assinados, reuniões bilaterais e tripartites com a presença da prefeitura, até gerar um acordo, aprovado por 87% da população, no qual a Dirija ficou com 58.000 m2 para sua empresa, com permissão de acrescentar um shopping à área aprovada, e doou 97.000 m2, que deram origem a criação do Bosque da Freguesia.

O Bosque da Freguesia foi então criado em 1992, DM Nº 11.830/92 sendo cercado, feito as primeiras benfeitorias e debatido e aprovado em 1995 o Projeto para construção da Sede Administrativa do Bosque, só concretizada no 2° governo do Prefeito Cesar Maia.

O Decreto no 12.962 de 08/06/94, que altera a delimitação feita no Decreto 11.830 de 11/12/92.

Outras Normatizações: Lei Municipal no 1.512 de 20/12/89, inscr. no livro de tombo do Departamento Geral de Patrimônio Cultural – DGPC, no 75, fls. 31 verso e 32, em 15/05/94; Portaria no 3190 do Secretário do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional do Ministério da Cultura; Lei Orgânica do Município – 05/04/90, artigo 463, IX, E, 1o e Lei Complementar no 16 de 04/06/92 – Plano Diretor, artigo 70, inciso IX.Os limites da área de tombamento, descritos no Decreto Municipal no 11.830 de 11/12/92, ficam alterados pelo Decreto Municipal no 12.962 de 08/06/94.

A inauguração da sede ocorreu em 26/03/2002, sendo escolhido o nome do recém­falecido presidente da AMAF, Jairo da Costa Pinto, para batizá-la. Era assim dado mais um importante passo para efetivar a posse, uso e usufruto da população da Freguesia, toda Jacarepaguá e município do Rio na pérola da natureza conhecida como “Bosque da Freguesia”.

Em 2003 e por decreto (Decreto 22939 de 22/05/2003) do Prefeito Cesar Maia se declara para fins de desapropriação áreas de propriedade privada do Bosque considerado como Área de Preservação Permanente.

Em dezembro de 2003 foi criado o Parque Natural Municipal da Freguesia, hoje P.N.M. Bosque da Freguesia, conforme exigência federal explícita no Sistema Nacional das Unidades de Conservação (SNUC) e o seu Conselho Comunitário, no qual a AMAF e a AABF tem representação.

Em 2013 o Prefeito Eduardo Paes declarou por decreto à necessidade de desapropriar às áreas ainda de propriedade privada descritas no Decreto 37790 de 14/10/2013.

Clique na imagem abaixo para abrir o PDF do PAL 38.952 e poder identificar as áreas de propriedade privada.

Superfície, localização e acessos

Encontra-se no centro da APA do Bairro da Freguesia, com endereço à Avenida Ten. Cel. Muniz de Aragão. s/no. Tem uma área de aproximadamente 31ha (Área do polígono projetado da delimitação da UCA).

Seus principais acessos são: Av. Ayrton Senna; Estrada de Jacarepaguá; Estrada Menezes Cortes; Rua Cândido Benício.

Imagem aérea do Bosque da Freguesia
Imagem de satélite do Bosque da Freguesia

Histórico e objetivos

A área que compreende o Bosque da Freguesia fazia parte de antiga fazenda adquirida no início do século por Joaquim Catramby, sendo considerada um remanescente das grandes chácaras que existiram em Jacarepaguá. A fazenda mantinha uma produção agrícola, pomar, criação de suínos, gado, cavalos e aves, sendo utilizada como local de veraneio. Em 1988, a sede da fazenda (construída por volta de 1798) foi demolida. No local, já com sua área reduzida devido ao desmembramento de parte da propriedade, funcionou uma escola de equitação.

Após a morte de seus antigos proprietários, o terreno foi vendido, sendo em parte adquirido pela Dirija Distribuidora de Veículos S.A. Desde 1987, movimentos ambientalistas, e organizações comunitárias, passaram a pleitear a transformação da área, última área verde do Bairro, em parque público. A ampla mobilização resultou na criação de uma legislação de proteção ao bem natural e na negociação entre o Poder Público e os proprietários privados da área.

Com a finalidade de proteger a cobertura vegetal surgiu a Lei 1.512, em 1989, que estabelece o tombamento municipal da área, prevendo sua delimitação pelo Executivo. O Decreto Municipal 11.830. de 11 de dezembro de 1992, definiu os limites do Bosque. Em 1992, uma parte da área delimitada do Bosque, pertencente à empresa de comercialização de veículos, foi negociada pela Prefeitura, em troca de licença, em dois lotes anexos, para implantação de uma concessionária de veículos e de um shopping-center. A outra área delimitada foi declarada para desapropriação por utilidade pública pelo Decreto Municipal 12.678 de 8/02/94, que alterou os limites originais do Bosque, encontrando-se em estágio de negociação com os seus proprietários pelo Poder Público.

O projeto de implantação do Bosque da Freguesia foi realizado por técnicos da Fundação Parques e Jardins. O Bosque da Freguesia integra o Projeto Corredor Verde da Fundação Parques e Jardins, que prevê a interligação dos remanescentes de floresta nativa existentes na Baixada de Jacarepaguá. Está sendo realizado o plantio de espécies vegetais nativas, em função da estagnação do seu desenvolvimento na área, dominada por espécies pioneiras e ruderais predominantemente exóticas à região. Posteriormente, prevê-se o manejo para diminuição dessas espécies, possibilitando o desenvolvimento de um sistema florestal mais estável.¨

Características Naturais e Atrativos

A mata que compõe parte do Bosque da Freguesia não é original, sendo basicamente secundária, em estágio inicial e médio de regeneração, pertencente às Formações Pioneiras (mata de alagados) e à Floresta Ombrófila Densa de Baixada, desaparecidas da região.

O Bosque da Freguesia, como o nome sugere, é uma formação predominantemente arbórea, quase que totalmente plantada no período correspondente ao final do século XIX e início do século XX, abrigando uma variedade de espécies frutíferas nativas e exóticas, que compunham o antigo pomar. O estrato arbóreo oscila em torno de 15m, com exemplares mais antigos com diâmetro à altura do peito – DAP, acima de 1 m. As espécies nativas surgiram por crescimento espontâneo (transporte de sementes por vento ou animais) ou foram plantadas para compor o sombreamento e o pomar.

Ao longo do Rio Sangrador encontram-se plantas brejosas e aquáticas, como: o aguapé (Eichornia crassípes), de flores arroxeadas, a erva-de-bicho (Polygonum persicaria) e a hortelãdo-brejo (Heteranthera reniformis).

A pequena mata nativa é do tipo capoeirão, com raros espécimes bem desenvolvidos, existindo pouca presença de cipós. As epífitas são mais comuns, embora de pequena diversidade, com destaque para as Bromeliáceas (Aechmea sp., Bilbergia sp. e Tillandsia spp). Cactáceas como os Rhipsalis spp são observadas nos galhos e troncos, especialmente das árvores mais antigas.

A fauna do Bosque da Freguesia é tipicamente urbana, formada por um contingente fixo e pequeno, mas que aumenta consideravelmente no período de frutificação das árvores do antigo pomar.

Destacam-se assim, sobretudo, as aves citadas para a Apa do Bairro da Freguesia.Outros atrativos do parque são as pistas rústicas, utilizadas para caminhadas, as atividades esportivas nas quadras, ginástica nos aparelhos e aulas de Tai Chi Chuan gratuitas.

Características institucionais e operacionais

O Bosque da Freguesia está sob a tutela da Fundação Parques e Jardins – FPJ, que conta com o apoio do Grupo de Defesa Ambiental e da Guarda Municipal, que auxilia na vigilância.

Principais aspectos do plano de manejo

Não dispõe de plano de manejo nem de zoneamento ambiental.

Uso do solo e resumo dos principais problemas

Os lotes privados ainda não desapropriados existentes nos limites do Bosque são ocupados por um campo e uma escolinha de futebol e por algumas moradias.

Sede e biblioteca ambiental

No debate de criação do perfil para a sede do Bosque, nos anos 1993/1995, ficou definido que a composição básica necessária da Sede do Bosque, deveria conter uma sala para a ADMINISTRAÇAO, uma sala para EXPOSIÇAO, um AUDITORIO, um local de LANCHES, uma sala para venda de ARTESANATOS, uma sala de ALMOXARIFE e uma BIBLIOTECA, cuja temática seria o Ambiental, além de banheiros masculino e feminino.

O início das obras durante o governo Conde (1997/2000) parou com o advento da briga política Conde/Maia, pela falta de recursos e concordata da construtora. A AMAF, não conseguindo junto a Prefeitura informações precisas e confiáveis sobre o destino da verba alocada para a construção da sede, fez denúncia junto ao Ministério Público que acatou o pedido de esclarecimento e punição para os responsáveis, intimando em fins de 1997 o Secretário de Meio Ambiente Mauricio Lobo a prestar conta.

Com a posse do novo governo municipal, o novo Secretário de Meio-Ambiente, Eduardo Paes, fez uma Audiência Pública no Bosque da Freguesia em maio/2001, quando esclareceu e ouviu a comunidade e retomou a obra da sede do Bosque da Freguesia.

A Sede Administrativa e as quadras esportivas do Bosque foram inauguradas em 26 de Março de 2002, com grande festa sendo o presidente da AMAF, Dr Jairo da Costa Pinto, falecido 3 meses antes, homenageado, e, por extensão, todos aqueles que lutaram pelo tombamento da área e criação do Bosque, dando seu nome ao prédio da sede.

Começa então o recebimento de livros doados pela comunidade, poucos porém abordando o Tema Ambiental. As estantes foram doadas pela Rica Frangos S.A.
Pouca coisa acrescentou-se a Biblioteca nesses dois últimos anos e assim sendo, a AMAF e a AABF se uniram para criar o PROJETO CONCIÊNCIA VERDE, por uma Biblioteca Ambiental em nosso bairro, traçando vários objetivos:

  1. Ser PONTO DE REFERÊNCIA para estudantes e estudiosos por ter o seu acervo, livros, revistas e artigos, sejam eles estudos científicos, documentários, enciclopédias ou romances voltados para o Tema Ambiental.
  2. Contatar a rede de Ensino Público da Região, 7a CRE, para elaborar planejamento de VISITAS e ESTUDOS DIRIGIDOS na Biblioteca.
  3. Organizar, promover, divulgar e premiar junto a Rede Escolar Pública ou Privada, CONCURSO de REDAÇÃO, CONTO, DESENHO ou FOTO sobre o Bosque, o Bairro e o Meio Ambiente.
  4. INFORMATIZAR a Biblioteca para melhorar a rapidez e precisão nos assuntos a pesquisar ou elaborar.
  5. CONECTAR VIA INTERNET a Biblioteca com o mundo.
  6. Buscar APOIO e DOAÇÕES no meio Acadêmico.
  7. Buscar APOIO e DOAÇÕES no meio Editorial.
  8. Buscar APOIO e DOAÇÕES no comercio local (Freguesia) e regional (Jacarepaguá).
  9. Buscar EFETIVAR FUNCIONÁRIO(A) com conhecimento/curso em biblioteconomia.
  10. INTERAGIR com outras Bibliotecas de Temática Ambiental

Dr. Jairo

Texto da carta enviada à Secretaria Municipal de Meio Ambiente em 18 de fevereiro de 2002

limo. Sr. Eduardo Paes
Ass.: Homenagem Post-Mortem

A AMAF, Associação de Moradores e Amigos da Freguesia, em reunião de Diretoria realizada no dia 26 de Janeiro de 2002, aprovou que fosse feita, e encaminha a esta Secretaria, uma Homenagem Pos – Mortem de seu ex-presidente Dr. JAIRO DA COSTA PINTO FILHO, ocorrida no dia 27 de Dezembro de 2001, face o seu esforço e luta pela preservação e manutenção do Bosque da Freguesia, em Jacarepaguá.

Aproximadamente, 18 anos de luta foram desenvolvidos pelo nosso saudoso companheiro, não só como presidente, como também em várias outras funções que exerceu na Associação. Lutou com entusiasmo, com amor e sinceridade, que lhe era peculiar, nos atos que tomava, nas atitudes em defesa dos interesses da população.

Com relação ao Bosque da Freguesia, jogou-se de corpo e alma para que aquele ambiente fosse preservado, porque algumas pessoas defendiam a destruição daquele recanto natural.

Lutou com grande entusiasmo nas áreas de Saúde, Educação e Transporte, representando a AMAF em Jacarepaguá, como bem mostra seu Currículo, que enviamos em anexo.

Em conseqüência das lutas que sempre pugnou no interesse da população da Freguesia e de Jacarepaguá, junto com muitos outros companheiros da AMAF, os quais se fazem reconhecer nesta homenagem, sugerimos o nome do grande batalhador que foi Dr. Jairo da Costa Pinto Filho) para a sede da futura Administração do Bosque da Freguesia, ou para a Alameda principal, que liga a entrada do Bosque à sua sede, uma vez que é uma via de grande movimento.

Assim sendo, a AMAF encerra esse pedido com uma poesia escrita pelo companheiro em 1967, aos 20 anos, que deixa claro o seu amor e sua já saudade pelo nosso bairro, e aguarda certa de uma decisão positiva do Sr. Secretário de Meio-Ambiente, por este justo ato de homenagem.

Atenciosamente,
AMAF – Associação de Moradores e Amigos da Freguesia
João Miraglia Netto – Presidente
CC: Vera Lúcia Baldner Fernandes – Administradora do Bosque ela Freguesia

Poesia

À JACAREPAGUÁ
Amo Jacarepaguá!
Com seu rio cortando a praça,
Com sua praça onde todos conhecem a todos
E a mais alguns.
Eu amo Jacarepaguá!
Com suas empregadinhas do comércio local
A andarem por lá.
Com suas bicicletas enfeitadas e suburbanas;
Com sua banda de música
E seus alto-falantes a berrarem.
Com seu povo 90% pobre e simples a cruzar
Com 10% da elite, nas horas em que as compras
Ou os cineminhas os igualam.
Eu amo Jacarepaguá pelo pouco que tem
E pelo pouco que não tem.
E quando sementes do progresso
F orem por aqui semeadas,
E os edifícios roubarem às peladas o terreno,
E as manilhas substituírem o rio,
E os carros substituírem as bicicletas,
Terei apenas a sua imagem,
Mas que tristeza, mas que saudade!
Jairo da Costa Pinto Filho
Rio, 1967, tarde

Currículo

Dr. Jairo da Costa Pinto Filho (Médico, Otorrinolaringologista)

-Tricolor de Nascença.
-Formação primária na Escola PIO X.
-Formado pelo Colégio Militar do Rio de Janeiro.
-Formado em Medicina pela Faculdade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro.
-Formado em Inglês pelo Curso Oxford.
-Fundador do ZEN CLUBE, grupo de jovens que, entre 1966 e 1969, organizou atividades culturais e de lazer em Jacarepaguá.
-Sócio Fundador e Professor do COLÉGIO LIDERANÇA.
-Fundador da CORRJA (Corredores de Rua de Jacarepaguá), transformada posteriormente na CORJA (Corredores de Rua do Rio de Janeiro).
-Fundador do Grupo CORAÇÃO (Corredores em Ação) de Jacarepaguá.
-Membro da AMAF, Associação de Moradores e Amigos da Freguesia fundada em 1981, da qual foi presidente por três mandatos.
-Amante do Cinema, realizou vários filmes em “Super 8 mm”, tendo, em 1972; recebido prêmio de Melhor Roteirista no concurso realizado na Aliança Francesa.
-Fundador, em 1983, do CINECLUBE FAMA, com participação no Movimento de Cineclubistas do Rio de Janeiro, e realizações de seções especiais no Cine Cisne, em escolas públicas e comunidades carentes.
-Membro do Grupo de poetas VERSO – VÍCIO, com quatro livros editados-
-Membro da SOBRAMES – Sociedade Brasileira de Médicos Escritores.
-Fundador do Jornal “O Jacaré”, de circulação mensal, em Jacarepaguá.
-Filiado ao Partido Democrático Trabalhista, PDT, ao qual permaneceu fiel desde 1982.
-Sócio Proprietário do Clube Olímpico de Jacarepaguá.
-Membro da Sociedade de Otorrinolaringologia do Rio de Janeiro.
-Médico do Iaserj – Madureira por 26 anos, tendo exercido o cargo de Diretor por cinco anos, entre 1991 e 1996.
-Durante sua Diretoria, criou o Serviço de Fisioterapia, com Fonoaudiologia, Massagista, Fisiatria, Psicologia e Serviço Social.
-Membro do Lions Club da Freguesia.
-Fundador, e presidente por três mandatos (96/98, 98/00 e 00/02) da BANDA DA FREGUESIA.
-Fundador da Associação dos Amigos do Bosque da Freguesia.
-Manteve consultório durante 27 anos na Freguesia onde nasceu, viveu e VIVERÁ PARA SEMPRE.

Deixe um comentário